crédito: Shutterstock

A INICIATIVA DA CARTA DA TERRA

Em 1987 a Comissão das ONU para o Meio Ambiente e Desenvolvimento recomendou a redação de um documento inédito sobre o desenvolvimento sustentável com o objetivo de ajudar a construir no século 21 uma sociedade global justa, sustentável e pacífica.

Mas foi somente em 1992, em um evento paralelo da cúpula da Terra Eco-92, realizada no Rio de Janeiro, que a primeira versão da Carta da Terra foi elaborada. Após uma ampla discussão da minuta inicial em todos os continentes por milhares de pessoas durante mais de oito anos, a Carta da Terra foi lançada no ano 2000 no Palácio da Paz em Haia, capital da Holanda.

Nos anos que se seguiram à publicação oficial da Carta foi realizada uma ampla campanha formal de endossos que atraiu milhares de adesões de organizações representando milhões de pessoas, inclusive inúmeras associações nacionais e internacionais como UNESCO e IUCN. Centenas de cidades promulgaram resoluções endossando a Carta da Terra por meio de um sistema on-line de endosso.

 

A INICITIVA DA CARTA DA TERRA EM AÇÃO

Em 2005 foi lançada a fase da Carta da Terra em Ação, em Amsterdam, na Holanda, com a presença do primeiro-ministro e da rainha da Holanda. Na ocasião foi lançado o livro “Carta da Terra em Ação”, com 62 artigos de especialistas de todo o mundo.

Durante o encontro, decidiu-se também criar um Conselho Internacional formado por especialistas de várias partes do mundo que, em conjunto com a Secretaria Geral da Carta da Terra, formariam a Iniciativa da Carta da Terra, um núcleo de catalisação e mobilização mundial da Carta da Terra junto a todos os povos do planeta, visando a efetiva realização da visão de um futuro melhor, sistemicamente sustentável, expressa no documento.

O Movimento Carta da Terra em Ação pressupõe a ação consciente, espontânea, natural e orgânica de milhões de pessoas no mundo todo. Milhões de pessoas que, usando a Carta da Terra como visão de um futuro melhor para todos, passam a agir, trabalhar e viver de modo a contribuir para a realização dessa visão. É a professora que muda o jeito de dar aulas em função da visão da Carta da Terra. É o presidente de empresa que passa a decidir de forma diferente depois de conhecer a Carta da Terra. É o artista que passa a criar suas obras em novo nível de consciência guiado pela Carta da Terra.

Assim sendo, não é um movimento a ser dirigido, controlado por estruturas hierárquicas e de forma centralizada. O Movimento é eminentemente descentralizado, biológico, não-mecânico e, portanto, dispensa estruturas grandes e custosas. O Movimento dispensa todo tipo de centralização e controle, seja nas várias regiões do planeta, em países específicos ou mesmo numa comunidade ou organização.

É por isso que não há um “representante oficial” da Carta da Terra em cada país. Há milhares. Não há um coordenador da Carta da Terra em uma dada região. Há milhares. Não é necessário fazer reuniões de coordenação. Os próprios princípios da Carta da Terra e os direcionadores divulgados pela Iniciativa é que asseguram uma coordenação natural de ações.

É dentro dessa filosofia que o Núcleo do Iniciativa funciona. A Secretaria Geral do Movimento Carta da Terra é um núcleo de poucas pessoas, que requer poucos recursos para sua sustentação. Seu papel é assegurar as melhores condições possíveis (principalmente na forma de orientações gerais, princípios e direcionadores) para que o Movimento evolua de forma espontânea e orgânica no mundo todo, na velocidade necessária.

A Diretora Executiva do Núcleo é a brasileira Mirian Vilela. A Secretaria Geral da Carta da Terra está sediada na Costa Rica, no campus da Universidade da Paz, instituição que faz parte do sistema da Organização das Nações Unidas. A Secretaria integra o Núcleo de Coordenação e o Conselho Internacional cujo papel é o de recomendar e orientar – na forma de diretrizes/princípios – o trabalho da Diretora Executiva e da Secretaria Geral do Movimento da Carta da Terra.

 

OS DIRECIONADORES DA INICIATIVA DA CARTA DA TERRA EM AÇÃO

Comece com a Carta da Terra. Deixe que a Carta da Terra seja seu guia básico quando estiver planejando e assumindo atividades para tornar realidade a visão da Carta da Terra.

Seja um exemplo vivo. Empenhe-se em ser um exemplo vivo do espírito da Carta da Terra na sua vida diária – em casa, no trabalho, na sua comunidade.

Fortaleça a si próprio. Aja com firmeza e acredite que você pode fazer diferença como indivíduo e que suas atividades irão catalisar os esforços de muitos outros.

Coopere, coopere, coopera. Crie o poder de produzir mudança construindo parcerias, colaborando com outros e buscando soluções ganha-ganha.

Fortaleça os outros. Compartilhe o poder, sendo inclusivo e proporcionando oportunidades aos outros para que fortaleçam suas capacidades de resolver problemas, tomar decisões e liderar, liberando a criatividade humana.

Promova o respeito e o entendimento. Empenhe-se para construir relacionamentos de confiança e respeito mútuo entre indivíduos e grupos de diversas culturas e comunidades, e resolva diferenças através de diálogo de forma a que produzam aprendizado e crescimento.

Facilite a auto-organização. Facilite a disseminação de iniciativas inspiradas pela Carta da Terra sem tentar controlá-las, contando com a capacidade dos grupos humanos com um propósito ético claro de se auto-organizar e alcançar resultados positivos.

Foque as causas de raiz. Focalize o pensamento e a ação nas causas de raiz dos principais problemas e desafios que a humanidade enfrenta, e não permita que pressões e práticas dos sistemas não sustentáveis existentes o impeçam de agir.

Seja comprometido e, ao mesmo tempo, flexível. Seja firme no seu comprometimento com os princípios fundamentais e assegure que os meios adotados para alcançar suas metas sejam consistentes com os valores da Carta da Terra, mas seja sempre flexível e inovador aos selecionar meios e métodos à medida em que as circunstâncias mudam.

Seja engenhoso. Não permita que seus pensamentos e ações sejam limitados pela dependência do dinheiro; use sua imaginação e seja engenhoso para fazer as coisas acontecerem.

Use a tecnologia com sabedoria. Lembre-se que um grande número de pessoas não tem acesso a tecnologias avançadas e, ao construir soluções tecnológicas para problemas, assegure que elas sejam apropriadas.

Proteja a integridade da Carta. Quando apresentar, citar ou traduzir a Carta da Terra, seja fiel às palavras e ao espírito do texto original, e conecte a Carta apenas a organizações, produtos e eventos que sejam consistentes com os seus valores e visão.

Para obter mais informações e esclarecer dúvidas,
por favor envie uma mensagem para o endereço: voluntarios@cartadaterrabrasil.com.br

ou acesse: earthcharter.org

Como ajudar a Carta da Terra em Ação

Nesses dois vídeos, Oscar Motomura explica como podemos apoiar a Iniciativa Carta da Terra em Ação.